Hymns of Pai Beira-Mar
as received by brother Barry Matthew

CONTENTS

The Books of the Hinário

The Steps of Awakening

Special-Purpose Collections

Cross-Reference Matrix
(
MS-Excel spreadsheet)

Hymns of the Santo Daime religion

Barry's Home page

Site Map

Email me

 

 

 

 

 

 

(português em baixa)

Purpose and Philosophy

These hinários began coming through to me some time following a visit by Padrinho Alfredo and Alex Polari to Los Angeles, in autumn of 1996, the end of my first full year in Santo Daime. During the succeeding year I began to compose verses to try to portray what I was seeing, feeling and realizing in my works and in my meditations -- at age 52, I had never composed a song in my entire life.

Along the way, it occurred to me that I was being instructed to put music to my verses, and that I also did not know how to do. But I meditated for further instructions, and soon I heard a simple waltz in my head that went with my first verse, and then a combination of two of Mestre's hinos tied my next set of verses together. My third effort was based on a slower variation of Guilherme's famous #30.

Eventually it became part of my daily meditations to listen for melodies and instructions, watch for visions and learn to appreciate the natural songs (and flavors) of the wind, the trees, the clouds, the earth, animals and people. Often melodies or themes would rouse me from sleep, or keep me up until the hours before dawn.

Wanting to "make sure I was doing it right," I asked people I respected in the current to review what I'd received at early points along the way, but learned that my teacher for it had to be Spirit <itself> -- it had to be a personal journey. I did undertake a serious study of all the hinários in the liturgy of Santo Daime and, through this effort, got an intuitive sense of what each teacher was bringing through, what was being healed or revealed, and some of the emotional and mystical qualities that were being transmitted through them.

The course of my education necessarily included familiarization with mediumship (which I had begun ten years earlier in other forms), including Umbanda and the spiritism of Alan Kardec and his peers, natural healing paradigms and even modern physics (my studies led me to obtain a Master of Science degree).

Admittedly, I do have a spiritual and metaphyscial background going back to childhood, with studies including the methods of Yogananda, Brunton, Gurdjieff, Jung, Castaneda, Swift Deer, Grinder, Leary, Ram Dass, Muktananda, Osho, Feldenkreis, Suzuki, Shankar, McKenna, Asimov, etc. I even came to realize (via scholars I knew) that methods that I'd devised ad hoc, in early childhood (and continue to use), could be found in the Vedas and in the Zohar.

I have often been asked why I keep receiving and composing so many hundreds of hymns, when it is not clear whether anyone else will sing them in works, although my local currents did sing groups of hymns for some Easter works and a couple of my birthdays. Each time I come up with a slightly different answer, but here are the common threads:

  • It is a multichannel means for recording my visions and revelations;
  • It is my favorite meditational method;
  • It is an efficient way of dealing with attacks of anxiety and depression;
  • It brings me into contact with God and with the spiritual levels.
  • It is a wonderful way of teaching myself what I want to learn and become.
  • "To make a dream a reality, you have to keep wishing until it must be so." Each of these hymns is my wish: to be whole, to be one with God, to complete my mission on earth, to love and have love.

My hope with this website is that it will inspire you to listen in on the universe of blessings inside your own mind and heart, and receive your own mission and gifts.

- brother Barry

All content © 1997-2008, Barry Matthew Klein, St. Louis, Missouri, USA.
Permission is hereby granted for any respectful, non-commercial use, as long as this copyright notice is attached.


Finalidade e Filosofia

Eu comecei a receber estes hinários que seguem uma visita de Padrinho Alfredo e de Alex Polari a Los Angeles, em um outono de 1996, que era o fim de meu primeiro ano cheio em Santo Daime. Durante o ano sucedendo, eu comecei a compôr versos com a intenção de retratar o que eu via, do sentimento e de realizá-las em meus trabalhos e em meus meditaçãos. Na idade de 52 anos, eu tinha composto nunca uma canção.

Em algum ponto, ocorreu-me que eu estava instruído pôr a música a meus versos, e que eu também não soube a. Mas eu recebi para umas instruções mais adicionais, e logo eu ouvi um valsa simples, em minha cabeça, que foi bem com meu primeiro verso, e então uma combinação de dois de hinos de Mestre amarrou meu jogo seguinte dos versos junto. Meu terceiro esforço foi baseado em uma variação mais lenta de Guilherme famoso #30.

Eventualmente, transformou-se parte de meus meditatçãos diários para aguardar até escutar melodias e instruções, relógio para visões e a aprendê-los apreciar as canções naturais (e sabores) do vento, as árvores, as nuvens, a terra, animais e povos. Frequentemente as melodias ou os temas despertar-me-iam do sono, ou mantenha-me acima até as horas antes do alvorecer.

Querendo "certifique-se eu o fazia direita," eu pedi que os povos na corrente, quem eu respeitei, revissem o que eu tinha recebido, mas eu aprendi logo que meu professor para este esforço teve que ser espírito -- teve que ser uma viagem pessoal. Eu empreendi um estudo sério de todos os hinários no liturgy de Santo Daime e, com este esforço, eu comecei um sentido intuitivo de o que cada professor transmitisse, o que curado ou revelado, e algumas das qualidades emocionais e místico que eram transmitidas com elas.

O curso de minha familiarização necessariamente incluída da instrução com mediumdade (que eu tinha começado dez anos mais cedo em outros formulários), includado Umbanda e o espiritismo de Alan Kardec e seus pares, paradigmas curando naturais, e mesmo física moderna (meus estudos me conduziram obter um mestre do grau da ciência).

Eu tenho um fundo espiritual e metaphyscial que vai para trás à infância, com estudos including os métodos de Yogananda, de Brunton, de Gurdjieff, de Jung, de Castaneda, de Swift Deer, de Grinder, de Leary, de Ram Dass, Muktananda, Osho, Feldenkreis, Suzuki, Shankar, McKenna, Asimov, etc.. Eu mesmo vim realizar (através dos scholars que eu conheci) esse os métodos que eu tinha planejado o anúncio hoc, na infância adiantada (e para continuar a se usar), pude ser encontrado no Vedas e no Zohar.

Estive-me perguntado frequentemente porque eu me mantenho receber e compôr assim muitas centenas dos hymns, quando não está desobstruído se qualquer um mais os cantará nos trabalhos, embora meus pontos locais cantassem grupos dos hymns para alguns trabalhos e aniversários de Easter. Cada vez que, eu tenho uma resposta ligeiramente diferente, mas sou aqui as linhas comuns:

  • É os meios multicanal gravar meus visões e revelations;
  • É meu método favorito do meditational;
  • É uma maneira eficiente de tratar dos ataques da ansiedade e do depression;
  • Traz-me no contato com deus e com os níveis espirituais.
  • É uma maneira maravilhosa que ensina-se de o que eu quero aprender e se tornar.
  • "Para fazer a um sonho uma realidade, você tem que manter-se desejar até que deva estar assim." Cada um destes hinos é meu desejo: para ser inteiro, para ser um com deus, para terminar minha missão na terra, para amá-la e para ter o amor.

Minha esperança com este website é que o inspirará escutar dentro no universo do interior dos benções seus próprios mente e coração, e recebe seus próprios missão e presentes.

— irmão Benção

Todos os textos e musicas (à exceção da música desoriginal) © 1997-2008 por Barry Matthew Klein, St. Louis, Missouri, EUA. A permissão é concedida por este meio para todo o uso apropriado, non-commercial, dado o tath que esta observação de copyright é unida.

 

You are visitor #

Counter furnished by http://www.digits.com/

Locations of visitors to this page
Click here for archive to Nov.08.
Web page hosted by